blog

  • Jose Edmar Gomes

FEIRA DA ARTE E DIREITOS HUMANOS

Atualizado: 27 de fev.

Artise promove evento de defesa da mulher

As Feiras contarão com ações lúdicas que ajudarão as mulheres a superar os traumas e a própria violência doméstica (Fotos: Arquivo Artise)

As Feiras contarão com ações lúdicas que ajudarão as mulheres a superar os traumas e a própria violência doméstica (Fotos: Arquivo Artise)


Os dois casos mais chocantes de feminicídio ocorridos em Sobradinho, em junho do ano passado, ainda estão dolorosamente vivos na memória da população serrana. No dia 17, uma brilhante psicóloga e professora, de 41 anos, foi estrangulada pelo marido e pai de seus filhos, após uma crise de ciúmes.


O outro caso ocorreu três dias depois, na noite do domingo 20, quando uma cirurgiã-dentista, de apenas 27 anos, foi morta a tiros, na porta do bloco onde morava, pelo ex-companheiro, na frente da filhinha deles, de apenas dois anos. Os criminosos eram reincidentes nas agressões e estão presos.


Casos assim têm se multiplicado, não só em Sobradinho e na Saída Norte, como em todo o DF. Esta dura realidade sensibilizou a Associação Artise de Arte, Cultura e Acessibilidade -- entidade sem fins lucrativos, responsável por projetos multidisciplinares de grande alcance social -- que decidiu encarar de frente o problema, com a promoção da Feira da Arte e Direitos Humanos, em Sobradinho e Sobradinho II, cujos eventos começam, a partir do próximo 8 de março, Dia da Mulher.


Segundo o presidente da Artise, maestro Alex Paz, os eventos da Feira se constituirão de encontros lúdicos e reflexivos sobre direitos humanos, voltados ao combate ao machismo e à violência contra a mulher.


“É absolutamente necessário que as entidades sociais e a população do DF encontrem formas de evitar que esta barbárie continue acontecendo, bem na porta da nossa casa, ceifando vidas produtivas e tirando o direito das mulheres à felicidade”, observa o maestro.

O circuito, num total de seis feiras mensais, mais uma vez, ocupará a Praça das Artes Teodoro Freire, na região central de Sobradinho, e a área atrás do Restaurante Comunitário, na sede da Associação das Mulheres de Sobradinho II - AMSII, na AR 14, conjunto 13, casa 14, em Sobradinho II, que receberá o primeiro evento no dia 8 de março, a partir das 9h da manhã. Todos os eventos contarão com espaço formativo de atendimento e orientação para o combate ao machismo e à violência doméstica.


Segundo o presidente da Artise, os eventos serão focados na promoção dos direitos humanos, que será abordada nas palestras, shows musicais, peças teatrais, oficinas e exposições.


“Cada feira, na verdade, será um espaço de reflexão, solidariedade e acolhimento das pessoas que estão ameaçadas, de alguma maneira, e para a comunidade receber orientação de como buscar seus direitos e evitar a violência e o feminicídio”, explica Alex Paz.

O presidente da Artise, Alex Paz, diz que as Feiras vão considerar a realidade da região de Sobradinho, em relação à violência contra a mulher.

O grande objetivo da feira, no entanto, “é considerar a realidade que a região de Sobradinho vive, em relação à violência doméstica e aos diversos casos de feminicídio já ocorridos e às situações potenciais que podem ser evitadas, a partir de orientação de profissionais, terapeutas e ações lúdicas, que vão abordar o problema, conscientizando pessoas envolvidas e desarmando os espíritos, à luz da lei e da conscientização de homens e mulheres”.

As seis feiras vão atender cerca de 12 mil pessoas, incluindo estudantes de escolas públicas, grupos e organizações de mulheres, das comunidades de Sobradinho, Sobradinho II, Planaltina, Paranoá e demais pessoas alcançadas pela divulgação das redes sociais.

Cada feira contará com uma educadora social da Associação de Mulheres de Sobradinho II, parceira do evento, que atenderá as mulheres, durante oito horas, acolhendo-as e orientando-as na superação dos problemas relacionados à violência doméstica.


As Feiras contarão, também, com uma palestra sobre combate ao machismo e violência contra a mulher e outra relacionada aos direitos humanos, além de oficinas de Dança, Artesanato, Capoeira e DJ, voltadas para o conceito do evento e mais dois shows musicais: no dia 8 de março se apresentarão as cantoras Dani Machado (20h30) e Vanessa Porto (21h30).


DESTAQUES