top of page

blog

  • Foto do escritorJose Edmar Gomes

ARTE NA PRAÇA V

Rosemaria Alves abre festejos juninos na Praça da Quadra 8 de Sobradinho

O mês de junho chegou e, com ele, a alegria das festas de São João. O Projeto ARTE NA PRAÇA já tomou as providências para que a Praça das Artes Teodoro Freire, em Sobradinho, acolha o público no clima junino.


O show deste sábado, 03.06, será da cantora Rosemaria Alves, uma grande estrela da música de Brasília, que terá como convidada especial outra estrela cheia de energia: Amélia Pinheiro.


As duas serão acompanhadas pelo quarteto Alex Lemos (baixo), Beto Cardoso (guitarra), Iago dos Santos (bateria) e Pierre Simões (teclados), o que é garantia de qualidade musical; além da sonorização perfeita de Edílson Santos.


Rosemaria já adiantou a este repórter que o repertório foi preparado com todo o carinho, em homenagem a São João e a todos que gostam tanto do santo como das festas.


“Esta é uma oportunidade para levarmos à Praça um show diferenciado. Selecionei um repertório de forró pé de serra e músicas que todo mundo quer ouvir, nesta época. A Praça vai pegar fogo. Preparem-se para o arrasta-pé”, avisa a cantora.


A festa na Praça das Artes, na Quadra 8 de Sobradinho, começa às 17h com o aulão de dança da professora Karol Thayná, vencedora do concurso Mercado Persa 2018, em São Paulo; e diretora do Espaço Cultural KT.


Neste horário, também, a Praça de Alimentação já estará à disposição do público, que poderá apreciar as atividades no palco, a partir das barracas, que servem água, sucos, refrigerantes, sanduíches, caldos, peixes, acarajé, chopp artesanal e comidas diversas. Outra opção é visitar a Feira de Artesanato, instalada no local.


Às 18h, será a vez do DJ Hool Ramos entrar no ar, com seu Clube do Vinil, uma interessante oficina que transmite conhecimentos de estilos musicais; operação de equipamentos; técnicas de mixagem (básica e avançada; e orientações para se iniciar no mercado de trabalho). Todas as oficinas são gratuitas.


ROSEMARIA ALVES

Cantar é um dos principais ofícios de Rosemaria Alves. Embora ela já tenha exercido cargos públicos importantes, é também atriz, artesã, dona de casa. E acaba de fundar a Alas – Academia de Letras e Belas Artes de Sobradinho, da qual é presidente.


Com tantas atividades, a cantora diz que precisa de um dia com, pelo menos, 30 horas. Afinal, ela ainda toca violão, percussão e está sempre renovando o repertório.


Filha dos pioneiros de Brasília, Seu Cassiano Alves dos Santos e Elisabete Gomes dos Santos – a dona Belinha, ela mora em Sobradinho, desde 1963. Sua empatia pela música chegou cedo ao ouvir dona Belinha cantarolar certas canções e aboios, enquanto cuidava da casa.


Mas Rose deu asas a sua vocação, participando de corais escolares e paroquianos, cursos de verão na EMB e Escola Rafael Rabelo (Clube do Choro). Mas ela garante que sua maior escola foi a noite.


“Sempre gostei muito de cantar, mas tinha que dividir o tempo entre o prazer da música e outras atividades para garantir a sobrevivência”, garante a artista.


Rose, ainda muito jovem, enfrentou a noite, ao lado dos famosos conjuntos de baile, entre eles o Som da Noite, que era dirigido pelo saudoso e inesquecível Maninho; Banda Edição Extra, Oasis, Arpuro e outros.


“ A Banda Som da Noite, foi muito importante na minha formação , porque fazíamos bailes na cidade e em outros estados”, esclarece.


Mas a cantora percorreu uma longa estrada na sua vida musical e; além de levar sua música a clubes, salões paroquiais, sindicatos e cidades do DF; já se apresentou para milhares de pessoas na Esplanada dos Ministérios e em grandes cidades como Goiânia e Barreiras. Além disso, outras cidades de Goiás, Minas e Tocantins a acolheram com carinho.


Com amadurecimento musical, que só a noite proporciona aos cantores e músicos, ela começou a se aproximar da MPB integrando a Bandas Poetas do Samba, Damas de Ouro, Fulô Dy Mandakaru e Nó na Madeira.


Hoje, Rosemaria é considerada uma requintada intérprete da MPB, que adora o samba e cultiva o saudável hábito de ouvir e cantar Chiquinha Gonzaga, Cartola, Nélson Cavaquinho, Vinicius de Moraes, Luiz Gonzaga e Chico Buarque.


Além destes cultuados compositores e intérpretes da MPB, Rose cita especialmente Dona Ivone Lara, a compositora de Sonho Meu e Sorriso Negro, cuja história de vida admira.


“Dona Ivone Lara veio reforçar o protagonismo da mulher nos espaços que antes pertenciam somente aos homens...salve ela e Chiquinha Gonzaga”, saúda a cantora sobradinhense.


Para encerrar, uma informação em primeira mão: Rose avisa que, em breve, lançará um trabalho autoral, produzido no Cozinha Studio, sob a reponsabilidade de experientes produtores.


Tomara que ela mostre este trabalho na Praça. Estamos todos curiosos. Vamos à Praça?

header.all-comments


DESTAQUES

POST RECENTES

ARQUIVO

TAGS

SIGA-NOS

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • YouTube
bottom of page