top of page

blog

  • Foto do escritorJose Edmar Gomes

ARTE NA PRAÇA V

Terceiro evento contou com público enorme

O terceiro evento da quinta edição do Projeto ARTE NA PRAÇA prosseguiu - neste sábado, 25 de fevereiro, na Praça das Artes Teodoro Freire de Sobradinho - com enorme aglomeração de público, que participou das oficinas de dança e DJ e atrações lúdico-educativas para crianças e adultos, a partir das17h.


A festa começou com o aulão de dança da professora Karol Thayná, considerada uma das melhores dançarinas de dança do ventre do Brasil; vencedora do concurso Mercado Persa 2018, em São Paulo; e diretora do Espaça Cultural KT, na Quadra 08.


Após as aulas para iniciantes, ela chamou ao palco dançarinas profissionais, que apresentaram performances muito aplaudidas pelo público e prometeu mais atrações da mesma qualidade para os próximos eventos.


A Praça de Alimentação, iniciou suas atividades às 17h, servindo água, refrigerantes, sanduíches, caldos, churrasquinho, peixe e comidas diversas, ao grande fluxo de clientes, que também visitaram a Feira de Artesanato, que expõe produtos manuais e utensílios domésticos, na área da Praça.


Às 18h, foi a vez do DJ Hool Ramos ligar as pickups do seu Clube do Vinil, numa interessante oficina que transmite conhecimentos de estilos musicais; operação de equipamentos; técnicas de mixagem (básica e avançada); e orientações para iniciar no mercado de trabalho. Todas as oficinas são gratuitas.

A partir das 19h30 começaram as atrações musicais, desta vez, capitaneadas pelo roqueiro Ney Santos, líder de umas das bandas mais originais de Brasília.


NEY SANTOS/TERCEIRA CAPITAL


O roqueiro Ney Santos, líder da Terceira Capital, foi o responsável pelo show da noite e veio com tudo à frente da Terceira Capital, que traz em seu DNA os áureos tempos do rock brasiliense. Além de sua banda, Ney arregimentou um time de convidados, que aumentou a voltagem do evento.


“Tocamos músicas dos anos 80 e 90, com muito prazer. É um repertório que está na memória afetiva de minha geração”, explica o vocalista que tem como referências musicais a RPM, Legião Urbana, Capital Inicial, Paralamas do Sucesso, Cazuza, Barão Vermelho, Plebe Rude e U2.


“Quem garante o prestígio do rock nacional, na verdade, são as bandas antigas. Estão aí os Titãs e a Capital Inicial, que não me deixam mentir”, observa Ney Santos.


“A Terceira Capital tem mesmo uma pegada dos anos 80, porque foi o ápice do rock nacional e é este caminho que a gente percorreu no palco do ARTE NA PRAÇA, na noite da graça de 25 de fevereiro de 2023,” explica.


Ney Santos não escondeu o entusiasmo de fazer mais um show presencial, em Sobradinho, onde nasceu a Terceira Capital e, para reforçar esta identificação, o show teve uma hora a mais de bônus, incluindo os convidados KabrunKo Rock, que apresentou seu trabalho autoral; Lucas Rodriguis, Geninho Almeida, Saul Oliveira, Cláudio Firmo e Gisele Guedes, cantores e cantora muito admirados em todo o DF.

O show da Terceira Capital contou com a guitarra de Luciano Lacerda; o baixo de Fábio Negrão; a bateria de Samerson e os vocais de Ney Santos, é claro.


“Gravar um show sem o calor do público, como fizemos na pandemia, é diferente. Parece que ficou faltando alguma coisa. Mas, agora, as coisas voltaram ao normal e pudemos sentir o calor do público da nossa cidade. E foi para ele que demos o melhor de nós, mas recebemos muito mais”, finaliza o líder da TC.

Comments


DESTAQUES

POST RECENTES

ARQUIVO

TAGS

SIGA-NOS

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • YouTube
bottom of page