Neide Barros solta a voz e abre o coração neste sábado de Aleluia na Praça das Artes

Neide Barros solta a voz e abre o coração neste sábado de Aleluia na Praça das Artes

19 Apr 2019

Ela canta porque, às vezes, a vida nos dá pancadas impossíveis de revidar. Ela canta porque o coração pede pra cantar. E um bom coração chora, mesmo quando canta, e as pancadas da vida ficam maiores quando doenças impõem sofrimento a crianças, como ocorreu com sua filhinha.

 

Mesmo após inúmeras noites insones, Neide Barros cantava...cantava, chorava...Mas tudo que um artista pode fazer é fazer o que sabe. A vida segue. Embora agente morra com os filhos que morrem. Essas mortes são dores que o tempo se encarrega de resolver.

 

E Neide Barros canta até hoje. Ela já cantou com seu marido David Vieira, com seu ex-marido David Vieira. Cantou e canta pelas noites adentro, dando sequência à vida. “Por que cantar/ parece com não morrer/É igual a não se esquecer/Que a vida é que tem razão”.

 

Quando criança, ela sonhava que cantava, num palco todo iluminado, e continuou cantando até encontrar David, com quem fundou a banda Sequência, em 1988, e animou as noitadas do final dos anos 80's e 90's, deliciosos momentos que a galera curtiu no Panela de Barro, Zero Bar, Estrela do Sul, Papagaios ...

 

Neide, David e a banda Sequência fizeram também diversos shows na orla da Lagoa Formosa...

 

A Sequência participou ainda do Projeto Agite, Cidade!, que levou muita gente às ruas de Sobradinho. Neide Barros diz que essa foi uma época inesquecível e que ela e David introduziram o axé, o pop rock, o sertanejo e outros estilos musicais nas noites serranas.

 

Esse auê todo durou até meados dos anos 1990, quando as noites foram perdendo a intensidade e a família de Neide cresceu e ela teve que cuidar de mais filhas.

 

A Sequência foi interrompida, Neide passou no vestibular da UnB (sim, da UnB!) e deu um tempo na carreira.

 

Mas a pancada da vida veio mais forte, logo depois, ela perdeu a filha, que vinha padecendo com câncer e resolveu revidar voltando a cantar, a partir de 2015.

 

 “Fiz isso com imensa alegria e mantive o repertório eclético de sempre. Sigo cantando em barzinhos, festas particulares e onde me convidam. Acho que enquanto existir, eu vou cantar”, afirma Neide, de coração aberto.

 

Vá aplaudir Neide Barros, neste sábado de Aleluia, na Praça das Artes Teodoro Freire. Ela merece.

 

(Fonte: Folha da Serra)