blog

  • Felipe Branco Cruz

Último grande álbum dos Stones completa 40 anos e ganha reedição de luxo Leia mais em: https://vej


Em uma hipotética lista com os melhores álbuns dos Rolling Stones, os títulos lançados entre os anos 1960 e 1970 certamente ocupariam as primeiras posições. A única exceção seria Tattoo You, de 1981, apontado pelos fãs e pela crítica como o último grande álbum lançado pela banda, e também o último a atingir o primeiro lugar da Billboard.


De lá para cá, nenhuma música nova do grupo teve tanta repercussão – inclusive no repertório de shows de Mick Jagger e companhia – quanto este álbum. Exemplo máximo é a faixa Start Me Up, que virou um das assinaturas da banda e está presente em praticamente todos os shows que eles fizeram desde então.


Desde o ano passado, o grupo começou a revirar o baú das raridades e a lançar faixas nunca gravadas. Nesta sexta-feira, 21, saiu uma caprichada versão comemorativa dos 40 anos do álbum Tattoo You, com...


contava com 11 faixas e foi um dos grandes responsáveis por apresentar a banda a uma nova geração de fãs que surgiam embalados por videoclipes na MTV. Musicalmente, o disco não apresentou nada

revolucionário ou polêmico (como ocorreu, por exemplo, com Sympathy for The Devil, que foi acusada de ser satanista). Mas foi fundamental nesse processo de renovação de público.


Faixas como a animada Hang Fire e a romântica Waiting on a Friend (com uma belíssima performance de sax de Sonny Rollins) marcaram um retorno da banda ao bom e velho rock and roll, deixando de lado experimentalismos sonoros que eles fizeram em álbuns como Emotional Rescue e Some Girls. Na edição de luxo que chega hoje às plataformas de streaming, além das nove faixas, há ainda os melhores momentos de uma histórica apresentação ao vivo no estádio de Wembley, em 1982.


Curiosamente, o álbum tinha tudo para não fazer sucesso. As onze faixas eram sobras de outros discos que precisaram ser retrabalhadas em atribuladas sessões de gravação – daí o fato de a banda encontrar e relançar agora outras nove canções esquecidas. O relançamento coincide com a turnê No Filter, que a banda está fazendo pelos Estados Unidos – a primeira sem a bateria de Charlie Watts, que morreu em agosto aos 80 anos.

DESTAQUES